01

Plataforma Multi-Ator

Desenho e avaliação conjunta, com as partes interessadas e a sensibilidade da região, de opções de gestão e gestão sustentável para recursos agrícolas.

02

Construção e harmonização de bases de dados

Atividades de gestão de agroecossistemas, gestão de recursos hídricos, balanço de nutrientes e impactos agroambientais no solo, água e atmosfera.

03

Plataforma de modelagem

Permite explorar o impacto potencial dos cenários de gestão agrícola na qualidade do ar e da água no continuum da zona agro-fluvial das bacias hidrográficas do espaço SUDOE.

04

Seleção de cenários de gestão

Seleção de cenários de manejo de agroecossistemas para aumentar sua sustentabilidade.

05

Ferramenta de visualização de impactos agroambientais

Para a avaliação do potencial impacto ambiental das práticas agrícolas nas águas e na atmosfera.

PLATAFORMA MULTI-ATOR

Co-design de estratégias de gestão

O AgroGreen-SUDOE incorpora a visão e as sensibilidades dos principais atores envolvidos nos processos de produção agrícola e no desenvolvimento de políticas públicas por meio da Plataforma Multi-Ator AgroGreen-SUDOE, da qual participam todos os parceiros beneficiários e associados. As duas funções principais da plataforma são:
01
Fornecer informação de qualidade para desenhar e propor diferentes cenários de gestão agrícola e avaliar o impacto agroambiental de diferentes cenários de gestão agrícola em agroecossistemas do território SUDOE.
02
Co-desenhar estratégias de gestão desses sistemas de produção que levem à diminuição dos impactos na qualidade da água, na emissão de compostos poluentes para a atmosfera e na emissão de gases de efeito estufa.
Quer se registrar em nossa plataforma multi-ator?
Escreva para nós

Coleta de Dados

Construção e harmonização de bancos de dados

Este grupo de trabalho visa gerar bancos de dados robustos e harmonizados que sejam sensíveis às realidades regionais e aos atores no território SUDOE. Os principais bancos de dados do projeto são:
Veja os resultados

PRÁCTICAS AGRÍCOLAS (GT1).

Gestão agrícola nas principais culturas de cada bacia, com especial enfoque na fertilização e irrigação. Fontes difusas e pontuais de poluição da água, solo e atmosfera.

DADOS GERADOS IN SITU (TESTES PILOTO) (GT2). 

Sobre as emissões de gases de efeito estufa e compostos poluentes para a água e a atmosfera em áreas agrícolas representativas e em áreas ribeirinhas na interface dos canais acima e dos rios.

DADOS SOBRE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS E IMPACTOS AGROAMBIENTAIS (GT2 E 3). 

Gestão e uso de reservatórios juntamente com informações sobre a deposição de compostos potencialmente poluentes em espaços naturais próximos a sistemas de produção agrícola.

PRÁCTICAS AGRÍCOLAS (GT1).

Gestão agrícola nas principais culturas de cada bacia, com especial enfoque na fertilização e irrigação. Fontes difusas e pontuais de poluição da água, solo e atmosfera.

DADOS GERADOS IN SITU (TESTES PILOTO) (GT2). 

Sobre as emissões de gases de efeito estufa e compostos poluentes para a água e a atmosfera em áreas agrícolas representativas e em áreas ribeirinhas na interface dos canais acima e dos rios.

DADOS SOBRE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS E IMPACTOS AGROAMBIENTAIS (GT2 E 3). 

Gestão e uso de reservatórios juntamente com informações sobre a deposição de compostos potencialmente poluentes em espaços naturais próximos a sistemas de produção agrícola.

Plataforma de modelagem

Plataforma de modelagem

Veja os resultados
Permite estimar os impactos agroambientais, na qualidade da água e do ar, das estratégias de gestão agrícola co-elaboradas na Plataforma Mulit-Ator. 

Usando ferramentas de modelagem, especialistas em modelagem da UPM, do CNRS e outros grupos de pesquisa internacionalmente relevantes fazem
estimativas das fontes de poluentes potenciais, transformação e fluxos de nutrientes no contínuo agrícola terra-rio-mar no território SUDOE. 

Os modelos a serem desenvolvidos ao nível da bacia hidrográfica são:

Modelos de fluxo de nutrientes
Modelos de emissões de compostos poluentes
Permite estimar os impactos agroambientais, na qualidade da água e do ar, das estratégias de gestão agrícola co-elaboradas na Plataforma Mulit-Ator. 

Usando ferramentas de modelagem, especialistas em modelagem da UPM, do CNRS e outros grupos de pesquisa internacionalmente relevantes fazem estimativas das fontes de poluentes potenciais, transformação e fluxos de nutrientes no contínuo agrícola terra-rio-mar no território SUDOE.

Os modelos a serem desenvolvidos ao nível da bacia hidrográfica são:

Modelos de fluxo de nutrientes
Modelos de emissões de compostos poluentes

cenários de gestão

Seleção de cenários de gestão

Veja os resultados
Neste grupo de tarefas, são avaliados os cenários de gestão agrícola selecionados e definidos no GT1 (em trabalho desenvolvido e realizado no âmbito da plataforma multi-ator), utilizando as ferramentas de modelação melhoradas (GT3), adaptadas à realidade do Regiões SUDOE e validadas com dados existentes e aqueles obtidos no GT2. 

O objetivo deste GT é avaliar o potencial dos cenários para aumentar a sustentabilidade dos sistemas
de produção agrícola das grandes bacias do Tejo e Garonne, e o seu impacto nos espaços naturais vizinhos, através da minimização de emissões de compostos, potencialmente poluentes, tais como amônia e nitratos e gases de efeito estufa.

A seleção de cenários de gestão incidirá em:

Gestão de fertilização
Gestão de Recursos Hídricos
Gestão de áreas ribeirinhas

Neste grupo de tarefas, são avaliados os cenários de gestão agrícola selecionados e definidos no GT1 (em trabalho desenvolvido e realizado no âmbito da plataforma multi-ator), utilizando as ferramentas de modelação melhoradas (GT3), adaptadas à realidade do Regiões SUDOE e validadas com dados existentes e aqueles obtidos no GT2. 

O objetivo deste GT é avaliar o potencial dos cenários para aumentar a sustentabilidade dos sistemas de produção agrícola das grandes bacias do Tejo e Garonne, e o seu impacto nos espaços naturais vizinhos, através da minimização de emissões de compostos, potencialmente poluentes, tais como amônia e nitratos e gases de efeito estufa.

Gestão de fertilização
Gestão de Recursos Hídricos
Gestão de áreas ribeirinhas

Ferramenta de visualização

Visualização dos impactos agroalimentares

Veja os resultados
Com as informações geradas nos GTs anteriores (1-4), será construída uma ferramenta de visualização dos impactos agroambientais associados a cada um dos cenários de manejo avaliados (GT4), lo que permitirá, con sensibilidad regional y de actor, identificar las mejores prácticas agrícolas y/o de gestión de usos del suelo.

El formato de visualización será un mapa de las principales cuencas del territorio SUDOE, con especial detalle en las del Tajo y Garona. Para ello se contará con tecnología “stream map”, que permite visualizar por capas la incidencia de las
diferentes práticas de gestão implementadas. Os impactos apresentados serão as emissões para a atmosfera de gases de efeito estufa (GEE), amônia (NH3) e óxidos de N, e a lixiviação de nitratos para a água; a pegada ambiental e os rendimentos das colheitas. 

Se mostrará también un panel con la categorización AgroGreen-SUDOE de la prácticas (de menos a más impactantes en el medio) y su alineamiento con los principios de la nueva Política Agraria Común y de la estrategia de la Granja a la Mesa del Pacto Verde Europeo.
Com as informações geradas nos GTs anteriores (1-4), será construída uma ferramenta de visualização dos impactos agroambientais associados a cada um dos cenários de manejo avaliados (GT4), que permitirá, com sensibilidade regional e dos atores, identificar os melhores práticas agrícolas e / ou gestão do uso da terra.

O formato de visualização será um mapa das principais bacias do território da SUDOE, com especial detalhe nas do Tejo e Garona. Para isso, contará com a tecnologia de “stream map”, que permite visualizar por camadas a incidência das
diferentes práticas de gestão implementadas. Os impactos apresentados serão as emissões para a atmosfera de gases de efeito estufa (GEE), amônia (NH3) e óxidos de N, e a lixiviação de nitratos para a água; a pegada ambiental e os rendimentos das colheitas. 

Um painel também será mostrado com a categorização AgroGreen-SUDOE das práticas (do menos para o mais impactante no meio) e seu alinhamento com os princípios da nova Política Agrícola Comum e a estratégia da agricultura para a mesa do Pacto Verde Europeu.
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram